Autopiedade

Tu és ser abominável,
aborto da natureza execrável aos próprios olhos,
aberração a ser abatida
por  neste mundo não ser digno de rastejar,
destrói corpos e se alimenta de almas
daqueles que tiveram a desgraça de teu caminho cruzar,
não és homem nem mesmo demônio
pois no inferno nem o Diabo iria te aceitar,
então porque insistes em existir
se tua existência purulenta
nauseia até mesmo a ti?
De todos os pecados
em sua miserável vida profanados
só há uma forma de se redimir:
a teu peito podre esfaqueias
e com toda dor que carregas e provocas
dês um fim!